Monstruo

Laila Tafur

ES
Convento da Saudação
17 MAR 2017 a 02 ABR 2017

Fatima Miranda diz em uma entrevista."Recupero o rosnado, grito, choro, recupero a natureza pré-sintática da linguagem". Como ela, eu reclamo o monstro como uma dança de forma natural. A dança é produzida pela fricção entre significado e carne. Esse conflito cria a forma. Informa. O olhar tenta nomea-lo. eu defendo a dança. Defendo-a com virtude, como a beleza eu quero soar o monstro: Dançar. Eu sou o monstro.

Direcção e dança: Laila Tafur
Asist|encia: Janet Novás / Carmelo Fernández / Lipi Hernandez/ Albert Quesada
Luz: Víctor Peralta / Carmelo Fernandez
Figurinos: Laila Tafur
Música: Mirame a los ojos" de E. Morente "Sposa son disprezzata" de C. Bartoli / "I’m so depressed" de A. Jay / "Break force" de Helena Hauff /"Five Years" de David Bowie /
 

Leal Lav / Graner / CC Barceloneta / Espaço do Tempo