Os Mal Sentidos

Andresa Soares, Matthieu Ehrlacher, Gonçalo Alegria

PT
Convento da Saudação
17 FEV 2016 a 29 FEV 2016



OS MAL SENTIDOS trabalha sobre vários níveis de tradução e de deslocação de sentidos da realidade para complexificar a leitura da actualidade numa tragicomédia do Presente. O que poderá ser hoje o processo de construção do mito? O mito é construído através da reprodução de narrativas que, pela sua repetição, se tornam colectivas. Hoje, associamos aos media essa construção embora saibamos que, ao aceder à informação, não a encaramos como narrativa mitológica, mas sim factual. O modo como é transmitida a informação reflecte o que "se acredita" ser a articulação do pensamento contemporâneo. As palavras que usamos (ou que caem no uso comum) revelam as nossas crenças, o mundo que temos para articular. Num jogo de espelhos, criam-se vários dispositivos que desdobram a realidade do espaço de apresentação (público, intérpretes, linguagem, tradução, criação de movimento) em "agora" e "representação do Presente". Cria-se assim uma "confusão dramatúrgica", reflexo do modo de percepção e tradução da actualidade.
Aqui, duas pessoas estão sujeitas à linguagem, como uma arma.

Ela aproximou-se dele e quase sem conseguir olhá-lo nos olhos disse-lhe:
ELA: Tudo o que eu queria era uma SOLUÇÃO MÚTUA VIÁVEL.
Ele olha-a com complacência e mesmo com um ligeiro sorriso.
ELE: Mas querida, REGRAS SÃO REGRAS.

ELA: Eu sei. UM EM CINCO irá dizer o mesmo...
O ambiente na sala estava tenso, como se há muito não se abrisse uma porta ou uma janela.
Sentiam-se a respirar o mesmo ar de há cinco anos atrás sendo que, por o respirarem, não
era o mesmo ar de há cinco anos atrás.









Direcção artística e interpretação Andresa Soares
Co-criação e interpretação Matthieu Ehrlacher
Co-criação, composição sonora e desenho de luz Gonçalo Alegria
Apoio técnico Daniela Silvestre
Figurinos Tânia Afonso
Fotografia Joana Linda
Design gráfico Helena Nogueira-Silva
Produção e comunicação Marta Rema
Co-produção Nome Eira/Festival Cumplicidades
Gestão financeira Sumo – Associação de Difusão Cultural
Residências artísticas DevirCAPA, O Espaço do Tempo
Apoio Academia Naré Fighters
Apoio financeiro Fundação GDA

Agradecimentos João Naré, O Rumo do Fumo, Teatro do Bairro
Projecto financiado pela Secretaria de Estado da Cultura, Governo de Portugal/Direcção Geral das Artes