Bovary

Tiago Rodrigues

PT / FR
Convento da Saudação
01 OUT 2015 a 10 OUT 2015

BOVARY: DE PORTUGAL A FRANÇA

Em Junho de 2014 no Teatro São Luiz em Lisboa, Tiago Rodrigues estreou Bovary, espectáculo com texto da sua autoria e no qual o processo de Gustave Flaubert por atentado à moral é um dos pontos de partida para a adaptação da sua obra-prima Madame Bovary. O espectáculo, criado em coprodução com o Teatro Municipal São Luiz e o Teatro Nacional São João e inserido na programação do alkantara festival, foi interpretado por Carla Maciel, Gonçalo Waddington, Isabel Abreu, Pedro Gil e Tiago Rodrigues.Bovary reúne os registos das audiências, a correspondência de Flaubert e pequenas passagens do romance. É mais do uma adaptação da obra. A obra literária é "convocada" à cena, para um debate sobre a imunidade na arte e os limites dos pensamentos legais aplicados às utopias artísticas. Numa Europa em crise, uma Europa onde os valores fundamentais estão em jogo ou onde o risco de regressão civilizacional é real, é conveniente questionarmo-nos a que ponto a arte pode, como em 1856, desafiar os limites da tolerância, da vida pública e da liberdade. Um debate ideológico, com certeza. Mas este espectáculo é também um debate de linguagens. O discurso confuso dos advogados, a voz do autor e a réplica das personagens, mas também a mistura da linguagem legal com a linguagem íntima e a linguagem artística. Emma Bovary encontra-se no banco dos réus ao lado de Flaubert, tal como ele se encontra a seu lado durante os encontros amorosos clandestinos. Nesta Babel de linguagens e de documentos, sempre na fronteira entre a vida pública e a vida privada, entre realidade e ficção, Tiago Rodrigues lança-se à descoberta do que o próprio Flaubert apelidou de «a palavra justa». Para a apresentação deste texto em França, Tiago Rodrigues aceitou o convite do Théâtre de la Bastille para recriar este espectáculo com actores franceses. Mais do que uma remontagem, trata-se de reabrir o trabalho de criação em colaboração com uma nova equipa: Jacques Bonnaffé, David Geselson, Grégoire Monsaingeon, Alma Palacios e Ruth Vega Fernandez.

 

Créditos

Texto Tiago Rodrigues a partir do original de Gustave Flaubert
Encenação Tiago Rodrigues
Com Jacques Bonnaffé, David Geselson, Grégoire Monsaingeon, Alma Palacios e Ruth Vega Fernandez
Desenho de luz a definir
Música a definir
Cenário Ângela Rocha
Produção delegada Théâtre de la Bastille
Em coprodução com Teatro Nacional D. Maria II, Arts 276, o Centre Dramatique National de Haute-Normandie, Théâtre Garonne e CDN de Béthune, com o apoio d'O Espaço do Tempo