Coração Arde

Susana Vidal

Portugal
Convento da Saudação | Montemor-o-Novo
06 MAR 2015 a 15 MAR 2015

A partir da procura do nosso coração que arde perdido entre os caes.

"Un muchacho tropieza y rueda sierra abajo y el alma se desprende y cae en la rodada, atada como estaba nomás que por un hilo de seda de araña..." GALEANO, Eduardo, Memorias del fuego. Las caras y las máscaras, Duodécima edición, Madrid, SIGLO XXI Editores, 2007.

Após um simples tropeço o coração caiu e perdeu-se do seu peito.
Começa aqui uma procura do coração para trazê-lo de volta.
4 pessoas e 10 caes... Esconderijos.
Tudo começa aqui, quando a neve se equivoca de coração, quando de um sobresalto perdimos o coração. Estamos sós à procura do coração no meio dos cães, os cães que ouivam no meio do deserto gelado.

O coração cai cada vez que tropeçam. O coração, por ser tão inútil, deixou de estar bem seguro ao peito.

Fragmento do texto dramaturgico
Não há mais nada, a não ser este coração que se infiltra pelos cantos oblíquos do meu corpo e o faz parar. Procurar o coração para voltar a colocá-lo entre algodões, para protegê-lo da quebra, para amortecer a próxima queda.
As cidades estão cheias dos vapores que as pessoas deitam pela boca. As cidades deixaram a guerra na rua pela guerra na alma. As mulheres no meio dos cães gelados que tentam voltar a encher o peito nu de coração. O coração que gela.

Quantas vezes confundimos a bravura com a vontade de viver?

Susana Vidal

 

 

EQUIPA ARTÍSTICA

Susana Vidal (direção- texto-interpretação) Carla Ribeiro (Movimento–interpretação) Ana Ribeiro (interpretação)
Eunice Costa (interpretação)
Eric Costa (cenografia e direção técnica)
João Manso (Vídeo - interpretação)
Carla Fonseca (Produção executiva e comunicação) B Negativo teatro (produção)