I don't belong here

Dinarte Branco e Nuno Costa Santos

Portugal
BlackBox | Montemor-o-Novo
01 DEZ 2014 a 21 DEZ 2014

Peça de teatro que parte da experiência de deportação para o arquipélago dos Açores de cidadãos portugueses a viver nos EUA e Canadá desde a infância – e, portanto, com referências humanas, sociais e culturais integralmente americanas e canadianas.

O objetivo é o de criar um espetáculo a partir das várias situações que os próprios viveram até ao momento presente:- A infância na ilha e a memória vaga que deixou, a partida com a família para os EUA e Canadá, a adolescência, a entrada no universo da criminalidade, o julgamento, a pena de prisão, a dupla pena: a deportação, a vida presente na ilha.

É a partir destes momentos fundamentais, dessa reconstituição biográfica, que os autores querem criar e recriar. O texto do espetáculo vai ser construído durante o processo de trabalho coletivo. Os atores vão ser quer os próprios indivíduos que foram alvo de deportação, quer atores profissionais.

Projeto desenvolvido a partir de um desafio da Dra. Emmanuelle Afonso, presidente do Observatório dos Luso-Descendentes, ao criador Dinarte Branco.  No âmbito do trabalho que a antena dos Açores do OLD pretende realizar junto dos deportados luso-americanos e luso-canadianos.

 

Espetáculo em Português e Inglês, sem legendagem.

 

Produção Molloy Associação Cultural

Produção Associada AGECTA / Moby Dick Produções

Coprodução: Teatro Micaelense, O Espaço do Tempo, Teatro Maria Matos, Teatro Nacional de São João, Centro Cultural Vila Flor, Teatro Viriato

 

Encenação Dinarte Branco

Texto Desenvolvido por Nuno Costa Santos em colaboração com Dinarte Branco, Cláudia Gaiolas, Joe Leandro, Louis de Sousa, Paul Pacheco, Tiago Nogueira, Tony Brum, Zita Almeida.

Produção Alexandra Libânio e João da Ponte

Vídeo Paulo Abreu

Luz Feliciano Branco

Som Sérgio Gregório

Assistência de Imagem e som Francisco Rosas, Marco Moreira, Paulo Lima

Cenografia e Guarda-Roupa Paulo Oliveira

Interpretação António Brum, Cláudia Gaiolas, José  Leandro, Luís de Sousa, Paulo Pacheco, Tiago Nogueira, Zita Almeida.

Apoio Fundação AMI, Governo dos Açores - Direção Regional da Cultura / Direção Regional das Comunidades

Parceria Observatório dos Luso-Descendentes, Associação Novo Dia

Patrocínio SATA, Grupo Bensaude

Apoio à Produção Câmara Municipal da Ribeira Grande, Cresaçor, ANA Aeroportos de Portugal – Direção dos Aeroportos dos Açores, Direção Regional de Turismo – Delegação de Turismo dos Açores em Lisboa

Agradecimentos António Castro Freire, António Vieira Bizarrão (Mestre "Baiboia"), Associação ARRISCA, CLA-Ribg Universidade Aberta, Carolina Queiroz, Diana Diegues, Francisco Albergaria, Nô Coutinho, Paulo Fontes, Quinta da Falésia (São Vicente Ferreira), Quinta do Norte, Restaurante O Emigrante (Capelas), Restaurante O Solar do Rei dos Frangos (São Vicente Ferreira), Restaurante Pharmacia (Lisboa), Ricardo Reis, RTP-Açores, Rui Faria, Sofia Motta

Créditos fotografias pb Fernando Resendes/TM

Video still frames Paulo Abreu

 

Cronologia do processo criativo e apresentações:

Ante-Estreia . 19 e 20 Dezembro 2014 | O Espaço do Tempo, Montemor-o-Novo

Estreia . 9 Janeiro| Teatro Maria Matos, Lisboa

 

Depois de uma temporada de workshops e pesquisa, desde meados de 2013, 20 de Outubro de 2014 marca o início do processo de desenvolvimento da peça teatral e, nomeadamente, do período de criação e ensaios, de dois meses, em Ponta Delgada e Montemor-o-Novo. Com ante-estreia marcada para os dias 19 e 20 de Dezembro, nesta última cidade, e estreia no dia 9 de Janeiro, no Teatro Maria Matos, em Lisboa, segue-se a temporada de digressão no Continente e nos Açores: em Janeiro de 2015, de 9 a 11 e de 13 a 15, no Teatro Maria Matos (Lisboa), dia 17, no Teatro Virgínia (Torres Novas), e de 21 a 25, no Teatro Carlos Alberto (Porto); em Junho, dia 11, no Centro Cultural Vila Flor (Guimarães), dia 13, no Centro de Artes de Ovar, dias 19 e 20, no Teatro Viriato (Viseu), e no Teatro Académico de Gil Vicente (Coimbra), em data a combinar; em Julho, no Teatro Micaelense (Ponta Delgada), no Teatro Miramar (Rabo de Peixe), e em outros teatros do arquipélago, em datas a confirmar.