A Queda

Alfredo Martins, Cláudia Gaiolas e Manuel Poças

Convento da Saudação | Montemor-o-Novo
14 JUL 2014 a 23 JUL 2014

uma tragédia de Alfredo Martins, Cláudia Gaiolas e Manuel Poças

 

Alguns têm na vida um grande sonho e faltam a esse sonho. Outros têm na vida nenhum sonho, e faltam a esse também. Livro do Desassossego, Bernardo Soares A Queda (de Cláudia Gaiolas) tratará de quedas. De falhanços. Vencida pelas circunstâncias, Cláudia Gaiolas será vencida novamente. A Queda (de Cláudia Gaiolas) ambiciona posicionar-se fora de um campo moral em relação a si próprio. Falhanço não como etapa de um sucesso futuro nem como resultado inevitável da existência. Cláudia Gaiolas falha. É isso que Cláudia Gaiolas faz. É essa a única leitura. O trabalho do artista conceptual Bas Jan Ader (1942-1975) servirá de ponto de partida à nossa queda. A vulnerabilidade face a forças inelutáveis, tema recorrente da sua obra, será experimentada numa complementaridade de registos performáticos que, utilizando os códigos teatrais como elemento unificador, incluirão também elementos mais próximos à dança e à video-arte. A Queda (de Cláudia Gaiolas) vai ao encontro do fim da narrativa, ou do fim das suas várias narrativas. Há espectáculo enquanto houver algo para ver. A Queda (de Cláudia Gaiolas) aguentará até não poder mais.

 

EQUIPA ARTÍSTICA

Direcção Artística – Cláudia Gaiolas

Equipa criativa – Alfredo Martins, Cláudia Gaiolas, Manuel Poças

Videasta – a designar