Mala Voadora

Portugal

A mala voadora foi fundada por Jorge Andrade e José Capela, responsáveis pela direcção artística da companhia, e apresentou o primeiro espectáculo em Maio de 2003. Tem sido presença regular nos principais palcos nacionais, tendo também apresentado o seu trabalho na Alemanha, Inglaterra, Escócia, Brasil, França e Finlândia. Em 2012 os espectáculos "Overdrama" e "Memorabilia" foram nomeados para os prémios SPA/RTP 2012 nas categorias de melhor espectáculo e melhor cenografia, respectivamente.

Não temos convicções definitivas sobre a missão do teatro ou sobre a nossa missão no teatro. Temos vindo a trabalhar a partir de temas ou materiais que, na sua diversidade, se encontram relacionados com o quotidiano, entre as suas dimensões mais políticas e as mais afectivas: uma colecção de selos, o registo áudio de um jantar entre três amigas, a violência e a catástrofe como ingredientes do entertainment, a passagem do conteúdo dos livros para o teatro, a retórica dos discursos políticos, um conjunto de cerca de 2000 bibelots, cenas de morte do cinema (e também algumas peças de teatro). No seu encontro com o público, os espectáculos partem de coisas que toda a gente conhece.

Na mala voadora não temos um modelo metodológico, não procuramos fixar uma linguagem, não insistimos num determinado "universo". Em cada projecto, em função da especificidade do tema ou dos materiais adoptados, tentamos reequacionar o modo de chegar ao espectáculo e o modo de o resolver cenicamente. "Tema", "processo criativo" e "dispositivo cénico" tornam-se assim uma só coisa, matéria conjunta de especulação. No seu encontro com o público, cada espectáculo apresenta uma nova possibilidade do que pode ser "teatro".

Isto tem-nos permitido não fazer grande distinção entre a vertente ontológica dos espectáculos e a missão auto-reflexiva que caracteriza as práticas que podem ser designadas como artísticas: ao trazermos para o teatro materiais sem estatuto artístico, estamos ao mesmo tempo a confrontá-lo com as contingências da produção cultural genérica que contextualizam e condicionam a sua prática e a sua leitura.

A mala voadora é uma estrutura financiada pela Secretaria de Estado da Cultura – Direcção Geral das Artes, e é estrutura associada da Associação Zé dos Bois e d'O Espaço do Tempo.